Síndrome de Xaveco

Fazer amizades é algo que varia muito de pessoa para pessoa. Não considero algo fácil, visto que sempre procuramos em uma amizade um complemento do que somos. Sempre buscamos nos relacionar com pessoas que se pareçam com a gente e que tenham sempre algo a nos acrescentar.
Quando somos pequenos temos aquela mania chata de escolhermos um melhor amigo, que na verdade é apenas um colega igual ao outros usado como pretexto para chamar atenção dos demais. É infantilidade, eu sei, mas nós todos passamos por isso. O fato é que, quando chegamos a uma idade maior sentimos necessidade de atenção e muitas vezes isto nos falta. Não gostamos de ser secundários, queremos toda a atenção da pessoa que gostamos voltada para nós. Queremos exclusividade.
Eu chamaria isto de carência, mas em um mundo que não se vê mais amizades verdadeiras, uma que seja, talvez seja suficiente posta como algo equilibrado. Ambos se considerarem melhor amigos. Algo raro hoje em dia... A carência pode ser vista de várias maneiras: uma foto emo no orkut, aquelas frases dramáticas ou irônicas no subnick do msn, aquela velha história de belém, belém ou simplesmente a necessidade de chamar atenção.
Quando você é amigo de longa-data de alguém, e é trocado por uma nova pessoa, a revolta se torna uma forma de fugir do desprezo. Quebrar a TV, rasgar páginas de revistas, invadir perfis no orkut, detonar fotos e lembranças da amizade, ou mesmo se lastimar por ser mais um secundário nas histórias da vida do seu ex-melhor-amigo. Se você acha que está passando por isso, não se preocupe, sempre aparece alguém novo pra ser seu amigo. Caso não apareça, aceite esta condição e saiba que tem gente bem mais na pior...não é Xaveco?

2 comentários:

Paulo Matheus S. S. disse...

Legal Luiz!
Pra mim, independente de como meus amigos me consideram, meu melhor amigo é Jesus. E esses aos quais considero amigos, para mim, os enxergo como irmãos.
Mas isso é relativo! ^^
Se sentir um pouco acuado às vezes é normal, mas com o tempo a gente se acostuma e acaba vendo que não era bem como pensávamos. O importante, nesse caso, é dar o tempo certo.

Dica de amigo! xD
Abraços e sucesso no blog!

Abner disse...

e eu q aparentemente tenho a OBRIGAÇAO de dar atençao a todos, senao cortam minha garganta.. concordo com o texto e infelizmente, de q tbm sou passivel de algumas revoltas, dependendo de como for.